Você se lembra do árbitro Marcílio Braz?

 *Por Serpa Di Lorenzo

Ele nasceu na então pacata e arborizada cidade de João Pessoa, no dia 30 de dezembro de 1961, foi por seus pais batizado como sendo MARCÍLIO DE LIMA BRAZ, mas para o mundo da bola ele ficou conhecido como o árbitro MARCÍLIO BRAZ.

Até os onze anos de idade, Marcílio morou no Bairro do Roger e por possuir intimidade com a bola de futebol, jogou nas categorias de base do Cinco de Agosto Esporte Clube, no Guarany Esporte Clube Recreativo e no Onze Esporte Clube Recreativo. Ele também vestiu a camisa do Auto Esporte Clube e de diversas equipes amadoras dos bairros do Rangel, Cristo Redentor, José Américo e do Valentina. Recebeu vários convites para treinar no Botafogo Futebol Clube, mas os seus pais pediram para ele dedicar-se aos estudos.

Como atleta amador, sempre jogando no meio de campo, MARCÍLIO BRAZ conquistou vários campeonatos e torneios em nossa capital. Ele também jogou e conquistou o tricampeonato com a camisa do Master do Botafogo Futebol Clube. Outra importante contribuição sua, foi atuar como gandula no estádio José Américo de Almeida, o Almeidão, na época em que o saudoso desportista Walter Castro comandava aquela importante praça de esportes.

Todavia, o melhor estava por vir. Em 1987, o nosso homenageado foi incentivado pelo competente Ronaldo Rossi Belarmino, a fazer o Curso de Formação de Árbitros de Futebol do estado da Paraíba. Marcílio cursou, foi aprovado e fez parte de uma geração de excelentes árbitros que, muito contribuíram com o nosso futebol: Aqui citaremos Jordão Moreira, Erinaldo Olinto, José Clizaldo, Massilon Moreira, Paulo Morais e tantos outros que deixaram saudade.

MARCILIO BRAZ trabalhou como árbitro por vários anos e foi escalado para importantes jogos do campeonato paraibano de profissionais, podemos destacar a sua participação nas partidas decisivas do certame estadual entre o Botafogo futebol Clube e o Confiança Esporte Clube e Santa Cruz Futebol Clube Recreativo e o Sousa Esporte Clube.

No ano de 1993, ao final da temporada do nosso campeonato paraibano de profissionais, o nosso homenageado foi reconhecido pela Associação dos Cronistas Esportivos da Paraíba – ACEP, como “Revelação do ano na categoria Arbitragem”. Outro destaque em sua carreira, foi ter sido escalado para trabalhar na Copa dos Campeões, competição que foi sediada na Paraíba e na edição da primeira Copa do Nordeste, realizada em Maceió –AL.

Ele sempre procurou o seu aperfeiçoamento profissional, participando de cursos, reciclagens e aperfeiçoamentos ministrados pela Federação Paraibana de Futebol ou pela Confederação Brasileira de Futebol. Aliás, Marcilio Braz foi dos quadros da CBF por dezessete anos seguidos, trabalhando em jogos nos estádios da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão e Pará.

Quando foi no ano de 2007 Marcílio Braz emudeceu o seu apito e dois anos depois assumiu a presidência da comissão estadual de arbitragem da Paraíba, cargo que deixou, a pedido, em 2011.

Paralelamente às suas atividades desportivas, Marcílio Braz concluiu na Universidade Federal da Paraíba, em 1996, o curso de Bacharel em Administração e ingressou nas fileiras da briosa Polícia Militar da Paraíba, onde integrou o oficialato.

Marcilio Braz recorda com saudade daquela época em que apitava futebol profissional viajando por esse país continental, fazendo amizades e obtendo conhecimentos. Hoje, ele contribui com a sua experiência e conhecimento com a Federação Paraibana de Futebol, onde atualmente exerce o cargo de vice-presidente.

Para nós torcedores, cronistas e desportistas paraibanos, ficou a certeza de que o árbitro MARCILIO DE LIMA BRAZ, o popular Marcílio Braz, escreveu o seu nome com tintas douradas e perpétuas na brilhante história do futebol paraibano.

______________________

SERPA DI LORENZO – Cronista esportivo, colunista, delegado da Polícia Civil e ex-auditor do TJDF-PB