TERCEIRA VIA: Moro poderá ser a nova face da elite brasileira

Por Edson Gomes

Não é espantoso se nos primeiros meses de 2022 os grupos econômicos que compõem a elite brasileira assumam como candidato o ex-juiz Sérgio Moro. Tal posição teria justificativas históricas e seria uma saída para esses grupos, que na atualidade se sentem incomodados com seu atual representante, o presidente Jair Bolsonaro.

A glamorosa elite, que tem como marca registrada a exibição de um currículo com formação no exterior, bons modos baseado na etiqueta, e um discurso erudito, não se sente representada com as qualidades do atual presidente, que não as completa com tais qualidades.

Esse gosto da elite pela chamada erudição, qualidade que o Moro tem se pautado a apresentar, trás, desde um currículo bem estruturado, com pós-graduação no exterior, principalmente nos Estados Unidos, como a polidez no falar e elegância no vestir, passa para essa parte de nosso tecido social o espírito de representatividade e os afasta da vergonha coletiva.

Assim, não será uma novidade, se a base que atualmente sustenta o governo do Jair Bolsonaro, mude de percepção e procure em Sérgio Moro seu espelhamento. Como afirma um estudioso, é a necessidade de “A construção de uma elite toda poderosa que habitaria o Estado só existe, na realidade, para que não vejamos a elite real, que está “fora do Estado”” (SOUZA, 2017). Essa elite experimenta, na atualidade, os mesmos sentimentos de 1922, quando a elite “sofria de extraordinário complexo de inferioridade, especialmente em relação à Europa, ideal e sonho inatingível de toda a elite culta” (SOUZA, 2006).

Neste caso, para enfrentar o legítimo representante das camadas mais populares, e de uma classe trabalhadora intelectualizada, o Lula, só teria como saída, ex-juiz Moro, a chamada terceira via, construída nos bastidores da própria base do governo Bolsonaro e que lhe impunha a derrota nas eleições de 2022, indo a disputa com Lula no segundo turno das eleições.

Referência

SOUZA. Jessé. Elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017.

SOUZA. Jessé. A Invisibilidade da Desigualdade Brasileira. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

_________________________

EDSON GOMES – Colunista, escritor, policial militar do Estado da Paraíba e auxiliar de enfermagem