Vereador Arnóbio Menezes, presidente da CCJ

SEM ASSINATURA – CCJ vota, mas não homologa decisão a favor do segundo biênio na Câmara de Lucena

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de Lucena, decidiu nesta quinta-feira (4), não derrubar o segundo biênio para presidente do Poder Legislativo Local. Por 2 votos a 1, foi mantido o vereador Sandro Toscano (DEM) para dirigir a Casa no biênio 2023/2024, no entanto, a decisão tomada ainda não é oficial, isto porque os vereadores Arnóbio Menezes, Jair das Chagas e Chico de Dulce não assinaram documentos homologando o que ficou acordado.

Na noite desta quinta-feira, o presidente da CCJ, vereador Arnóbio Menezes informou que a Procuradoria Jurídica da Câmara Municipal ainda vai elaborar o documento, para que os três parlamentares assinem. “Eu mesmo mantenho meu voto, não sei os outros”, disse Arnóbio ao ser questionado sobre uma possível mudança de voto.

Na cidade, alguns moradores acreditam que o resultado pode ter uma reviravolta, isto porque já houve situação em que parlamentares mudaram de opinião de forma desconsiderada. “Esperava que esse documento fosse assinado nesta sexta-feira durante sessão ordinária, mas não vai acontecer a sessão, então, entendo que na proxima terça-feira, durante reunião com o Conselho Tutelar, possamos assinar este documento”, assegurou o presidente da CCJ.

Na votação, em atendimento a requerimento do vereador interino Júnio Bocão (DEM), a CCJ não derrubou o segundo biêniol. Arnõbio Menezes e Jair das Chagas foram contrários a derrubada, enquanto Chico de Dulce votou pela derrubada.

Por Marcos Lima