Servidores da Fundac intensificam luta pela revisão do PCCR

Os servidores da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac), cansados das promessas dos gestores do Governo do Estado, sejam os da própria fundação ou da Secretaria de Desenvolvimento Humano, decidiram, em assembleia geral, convocada pelo Sindicato representante da categoria, SINTACPB, intensificar a luta pela revisão do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração-PCCR, que está engavetado desde 2018, na Secretaria de Administração do Governo do Estado, sem nenhuma tramitação.

A categoria aprovou um calendário de lutas, que a direção do Sindicato já deu início nesta semana com mobilizações em todas as unidades socioeducativa da Fundac, com o objetivo de convocar os servidores para participar da primeira ação deliberada, que está marcada para a próxima terça-feira(26), a partir das 08h30min, em frente a Granja Santana, residência oficial do Governador.
Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Fundac- Sintac-PB, Márcio Phillipe, a intenção é ter a autorização Governador João Azevedo para o projeto de revisão do PCCR e agilizar o envio à Assembleia Legislativa para sua aprovação.

Ele acrescentou que a categoria não suporta mais enfrentar defasagem salarial tão gritante, em todos os níveis. “E esse problema só poderá ser resolvido com uma revisão justa do nosso plano, que já nasceu defasado, tendo também como encaminhamento a garantia da inclusão do cargo de Agentes Socioeducativo, que não pertencia a nossa carreira até o começo do ano. Não estamos exigindo muito, o que desejamos é respeito a uma categoria que trabalha com a alta complexidade e nessa pandemia foi colocada ainda mais como serviço essencial. Portanto se somos imprescindíveis ao trabalho, temos que ser valorizados no mínimo com salários decentes e compatíveis com nossas responsabilidades”, desabafou Márcio.

Ele acrescentou que além desse ato do dia 26 na Granja Santana, a Campanha ‘Revisão PCCR já! É agora ou nunca’ consta também outras iniciativas a exemplo de engajar nessa luta os demais segmentos comprometidos com a socioeducação e com os Direitos Humanos, realizar audiência pública na Assembleia Legislativa e promover outros atos públicos até que o pleito principal dos trabalhadores da Fundac seja atendido.

“A proposta é manter a categoria mobilizada, para que toda semana possamos construir novas manifestações e fortalecer o nosso movimento por dignidade e valorização profissional. Seguiremos nessa luta até a aprovação da revisão do nosso PCCR!”, salientou o presidente do Sintac.

Ascom/Sintac
Contato para Entrevista:
Presidente Márcio Phillippe
Fone: 98608-4658

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *