Disputa eleitoral acirrada

*Carlos Vieira

Antes mesmo da corrida eleitoral do próximo ano, quando serão realizadas eleições para presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais, as peças do tabuleiro político já começaram a se movimentar, numa velocidade frenética. As articulações nos bastidores já estão a galope, sejam entre partidos ou entre pretensos candidatos, principalmente para quem sonha com a cadeira do Palácio da Redenção.

De todos os candidatos que pretendem disputar o Governo da Paraíba, o primeiro nome que surgiu foi o de Romero Rodrigues, ex-prefeito de Campina Grande, que fez questão de antecipar que seria um concorrente oposicionista. Os demais candidatos ainda estão na sombra, nos bastidores, se articulando para se lançarem publicamente.

Considerada uma candidatura forte de oposição pela ótima administração que fez em Campina Grande, elegendo o seu sucessor, de repente surge no front político uma bomba que pegou muita gente de surpresa: Romero Rodrigues pode desistir da candidatura e fazer uma aliança com o governador João Azevedo, saindo como vice na chapa dele como candidato à reeleição. Romero afirmou que não desistiu ainda da candidatura e prometeu anunciar a sua decisão nos próximos dias.

O grupo Cunha Lima já tinha declarado apoio incondicional ao nome de Romero Rodrigues ao Governo do Estado e ia correr os quatro cantos da Paraíba para elegê-lo governador em 2022. Mas, diante da possível desistência de Romero, o clã campinense aguarda um posicionamento e deve lançar um candidato próprio para disputar as eleições. O próprio presidente do PSDB, Pedro Cunha Lima, já confirmou que isso deve acontecer.

A disputa promete ser acirrada e ferrenha para governador. Antes de a bolar rolar, já temos duas candidaturas postas: a reeleição de João Azevedo e um nome que o PSDB vai indicar, caso Romero desista. Mas não para por aí, pois o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, pode pintar na área e ser candidato ao Palácio da Redenção.

Como não devem ficar fora da disputa, os bolsonaristas também vão apresentar um nome para o Governo do Estado. O deputado estadual cabo Gilberto, aliado de primeira hora de Bolsonaro na Paraíba, já falou inúmeras vezes em emissoras de rádio e televisão que o seu grupo terá um candidato na campanha do próximo ano.

Quem será o candidato dos bolsonaristas para governador? Comenta-se nos bastidores que o ministro da Saúde, o paraibano Marcelo Queiroga, é um nome forte para entrar na disputa. Até agora ele não sinalizou que disputará algum cargo nas eleições do próximo ano, mas ainda há tempo para decidir.

Por enquanto, já se pode desenhar no tabuleiro quatro pretensos candidatos a governador, mas este número pode aumentar até 2022, quando será oficialmente deflagrado o processo eleitoral. As articulações prosseguem entre os partidos e candidatos, que buscam construir alianças para saírem fortalecidos na disputa.

O momento é inoportuno para fazer uma análise quem é o candidato mais forte para ganhar o Governo da Paraíba, porque não há candidaturas definidas e as eleições só acontecem no próximo ano. Estamos apenas na fase de articulações nos bastidores, mas não podemos negar que a corrida eleitoral promete ser uma das mais disputadas.

___________________________

CARLOS VIEIRA – Jornalista, colunista, cronista esportivo, ex-diretor do Sindicato dos Jornalistas da Paraíba e editor setorial do Jornal A União.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *