Vereador critica comportamento do presidente da República no Dia da Independência

Marcos Henriques (PT) afirmou que o presidente perdeu a oportunidade de propor a parcimônia

As manifestações que ocorreram no país no Dia da Independência, 7 de setembro, foram tema do pronunciamento do vereador Marcos Henriques (PT), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), desta quinta-feira (9). O parlamentar criticou o comportamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmando que ele perdeu uma grande oportunidade de pregar a parcimônia.

“Terça-feira, 7 de setembro, foi um dia muito movimentado, em que muita gente foi às ruas: uns por convicção, outros por imposição. O presidente participou de duas grandes atividades, em que metade das pessoas estavam lá porque o apoiam, pensam como ele, não resta dúvida. Mas, muitos foram na base dos cem reais”, afirmou o vereador, referindo-se a um vídeo, exibido em plenário, que apresenta alguns manifestantes recebendo camisetas, dinheiro e transporte para participar dos atos.

Marcos Henriques criticou a forma com que o presidente se referiu ao Superior Tribunal Federal (STF) e à população brasileira. O parlamentar exibiu vídeos nos quais “antipetistas”, segundo ele, condenam o comportamento de Jair Bolsonaro. Nos conteúdos, o ex-presidente do STF, Carlos Ayres Britto, afirma que o presidente é inadaptável à ordem constitucional brasileira e tem “um estilo de governo de costas para a Constituição”; e o jornalista Marco Antônio Villa diz que “nós temos um presidente da República assassino, ladrão, miliciano, ameaçando de morte o presidente do STF”.

De acordo com o vereador, a história está sendo remontada, colocando os pingos nos is. “Pouco a pouco estamos vendo quem são os verdadeiros bandidos. A desestabilização do nosso país é algo afrontoso. Queriam invadir e quebrar o STF, não quebraram por causa da Polícia Militar”, lamentou.

“O presidente perdeu uma grande oportunidade de pregar a parcimônia, de pregar a paz nesse 7 de setembro. Essa tentativa de desestabilização tem levado as três esferas a uma crise”, criticou Marcos Henriques. “Apresente alguma ação para estabilizar o nosso país. O povo está passando fome, 18 milhões de pessoas voltaram a linha de pobreza. Até agora nenhuma política de inclusão social. No meu ponto de vista, o presidente perdeu a condição de governar”, concluiu.

Fonte: Ascom CMJP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *