São Paulo SP 9 10 2018 A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, fala com a imprensa no Hotel Pestana.Rovena Rosa /Agencia Brasil

Gleisi intervém para impor retorno de Ricardo Coutinho ao PT e enfrenta forte resistência

Por Walter Santos

Agora é oficial: o Diretório Nacional do PT decidiu, através da presidente Gleisi Hoffman, intervir pessoalmente contatando cada um dos 16 diretorianos da Paraíba para impor o retorno do ex-governador Ricardo Coutinho ao partido.

Embora determinada na operação, a reação ao ato da presidente enfrentar forte rejeição de diretorianos se posicionando contra o reingresso do ex-governador por histórico que o Nacional pouco se importa.

Dados levantados, indicam que, dos 16 diretorianos, somente 4 aprovam o retorno de Ricardo contra 12 em posição contrária.

O CUSTO E RISCO DA OPERAÇÃO

O Diretório Nacional age como forma política de recompensa à série de atitudes de Ricardo Coutinho como governador em favor de Lula e Dilma, por isso banca integralmente a operação de retorno.

Dentro do PT estadual, ressurgiu espécie de revolta porque o ex-governador ao invés de dialogar com os diretorianos volta a insistir na intervenção de cima para baixo rasgando o processo histórico de construção democrática do partido ao qual pertenceu até quando quis “mandar” numa outra legenda. No PT original não tem isso, mas, mais uma vez, Gleisi ignora o processo de conquistas e não de imposição.

Todos do Nacional ignoram, contudo, conceito e convicção dentro da maioria do PT estadual de que o ex-governador tem culpa e envolvimento com desvios na Operação Calvário. Este é o conceito de fundo que pode fazer o PT se posicionar contrário mais uma vez contra Ricardo.

A rigor, Ricardo precisa ser abrigado na cena futura, mas os últimos fatos o remetem a outro patamar porque no campo do convencimento natural já não consegue o mesmo respeito de antes. É duro encarar tal realidade.

REAÇÃO NA BASE

Dirigentes já se manifestaram:

– Acho que a resistência vencerá, mas, sinceramente, caso ocorra esse “desembarque” dos girassóis, muitos como eu, vão buscar outras formas de participar da campanha de Lula, pois não existe ambiente para convivência política com esse coronel”.

SÍNTESE

É inimaginável a realidade de agora de Ricardo Coutinho, que criou muitos problemas internos quando filiado ao PT, saiu tomando o PSB da então vereadora Nadja Palitot na marra, fez acordo com todos os partidos de direita, tratou os petistas sem nível à altura do histórico do partido e, agora, mesmo com seu saldo de gestão enfrenta forte rejeição interna.

É, o mundo dá voltas e, como diz o adágio popular, aqui se faz, aqui se paga.

_____________________________________

WALTER SANTOS – Jornalista Profissional e proprietário do Portal WSCOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

%d blogueiros gostam disto: