Jobson, torcedor Nº 01 do Campinense em João Pessoa, diz que “lavou a alma”

Jean e Jobson, dois raposeiros fanáticos

“Engasgado” pelas críticas recebidas de torcedores adversários, principalmente depois da derrota do Campinense Clube por 2 a 1 para o São Paulo Crystal, na estreia da Raposa no Paraibano 2021, Jobson Porto Vasconcelos, residente em João Pessoa e desde criança apaixonado pelo rubro-negro da Rainha da Borborema, se disse de “alma lavada” nesta segunda-feira, após mais um título do seu time de coração.

“Muitos não acreditavam que o Campinense Clube seria campeão estadual, mas, nunca desisti e sempre acreditei, primeiro em Deus e depois nos pés e nas cabeças dos jogadores da Raposa”, afirmou Jobson, que é natural de Pedra Lavrada e que passou a gostar do Campinense Clube  graças ao seu pai. “Meu pai era raposeiro e me apaixonei pelo Campinense Clube graças a ele”, alegou.

Jobson dá abraço no Dino, em Sousa

Jobson Vasconcelos Porto e o primo, Jean Cordeiro foram dois dos vários torcedores  a estarem neste domingo, dia 20, no estádio Marizão, em Sousa, na final do Paraibano de Futebol Profissional da Primeira Divisão.,”Muita emoção no coração. Muita alegria. Quando o árbitro encerrou a partida, a emoção tomou conta de mim e do meu primo. Mais um título que ficará na história e na minha memória”, assegurou.

O raposeiro informou que acompanha o Campinense Clube em praticamente todos os seus jogos, sejam na Paraíba ou outros Estados. “Eu digo que sou o torcedor número 1 do time porque para mim não há distância. Procuro sempre acompanhar a equipe onde vai jogar. Seja Paraibano, Brasileiro, Copa do Nordeste ou Copa do Brasil”, afirmou ele, dizendo que, em João Pessoa já é declarado o torcedor número 1 da Raposa.

Por Marcos Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

%d blogueiros gostam disto: