Reprodução Internet

“Beiçola” detona colegas de “A Grande Família”

Compartilhar

O ator Marcos Oliveira, intérprete do Beiçola em A Grande Família abriu o coração durante uma entrevista ao programa Cidinha Livre, da rádio Tupi, no Rio de Janeiro. No bate-papo, o veterano abriu o jogo sobre a relação que tem com os colegas do humorístico, que permaneceu no ar entre 2001 e 2014.

A gente não se vê mais, porque cada um pegou uma trilha. Isso que é gozado na relação de trabalho. A gente é amigo naquela hora, acabou o trabalho, nunca mais as pessoas ligam para você ou querem saber de você“, desabafou.

Ao falar sobre novos projetos profissionais, o famoso destacou o programa que faz parte no Multishow: “Acabei de fazer a temporada de O Dono do Lar, do Paulinho Gogó [Maurício Manfrini]. Vai passar em maio ou junho. Depois vamos retomar em dezembro para gravar de novo. Agora estou desempregado. Vou ver se faço alguma coisa no meu Instagram, quero fazer uma rainha louca”.

Recentemente, Oliveira desabafou sobre a ausência de apoio à classe artística durante a pandemia do novo coronavírus:

A gente é lixo pra esse governo que tá aí. O objetivo do governo é acabar com pobre, preto, homossexual e artista. Tá claro, tá na própria estrutura de ministérios horrorosos. Mas não votaram e elegeram ele [Bolsonaro]? Agora a gente tem que aguentar a mediocridade, a burrice. Não sou de direita, não sou de esquerda, muito menos do centro. Eu não acredito nessa política, nessa democracia. A gente vai levando porque é a única coisa que tem, não tem outra opção”.

Cabe lembrar que na atração ele contracenou com Marco Nanini, Marieta Severo, Guta Stresser, Lucio Mauro Filho, Pedro Cardoso, Andrea Beltrão e Evandro Mesquita.

Foram 13 anos de trabalho. Nunca mais recebi telefonema de ninguém. A única pessoa que me ligou foi o Pedro Cardoso, que estava na Europa quando eu tive um piripaque do coração. De Portugal, ele me ligou querendo saber de mim. Agora, o resto, não querem nem saber…“, ressaltou Marcos.

Para quem não lembra, em setembro do ano passado, Marcos foi internado após sofrer um princípio de infarto e acabou submetido a um cateterismo. Com o sucesso do procedimento, ele foi liberado três dias depois.

Fonte: terra.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

%d blogueiros gostam disto: